Script para redução em lote do tamanho de imagens

Este script realiza a redução em lote do tamanho das imagens localizadas em um diretório e grava a imagem reduzida em um outro diretório indicado na linha de comando.

O script aceita/requer três parâmetros para sua execução: a pasta de origem (onde se encontram os arquivos a serem reduzidos), a pasta de destino e o fator de redução da imagem.

Segue o script:

#!/bin/sh
  
  if [ -z $1 ] # se for nulo o primeiro parametro passado para o script
  then
  
  echo "\n Script para reduzir tamanho de imagens (*.jpg)
  Converte todas as fotos (*.jpg) da pasta indicada para uma pasta indicada.

  Indique uma pasta para os novos arquivos que serao criados.
  Os novos arquivos terao os mesmos nomes.
  CUIDADO: Os arquivos originais somente serao alterados caso voce
  indique a pasta de destino igual a de origem.
  E' necessario o programa *ImageMagick*

  Parametros:

  fotoDiminuir <origem> <destino> <porcentagem>

  <origem> caminho de onde as fotos estao 
  <destino> caminho de destino para fotos menores
  (se a pasta de destino nao existir, ela sera criada)
  <porcentagem> porcentagem desejada do tamanho da foto original.
  (Este parametro eh opcional)
  caso nao seja informado a nova imagem tera 50%

  Exemplos: 

  fotoDiminuir /pastaOrigem /pastaDestino 30 
  fotoDiminuir /pastaOrigem /pastaOrigem/menor 
  \n"
  
  exit 0
  fi
  
  # validar os parametros
  
  # validar existencia da pasta de origem
  if [ ! -d "$1" ]; then
  echo "\n erro: pasta de origem nao existe. "
  echo " $1 -> nao eh uma pasta valida"
  exit 1
  fi
  
  # validar se foi passado o segundo parametro
  if [ -z $2 ];then
  echo "\n erro: faltando a pasta de destino."
  echo " Voce deve informar uma pasta para as imagens alteradas."
  echo " Para ajuda, execute novamente sem nenhum parametro. \n"
  exit 1
  fi
  
  pastaOrigem=$1
  pastaDestino=$2
  porcentagem=$3
  
  
  # caso nao exista, criar diretorio de destino
  if [ ! -d "$2" ]; then
  echo " criando dir: " "$2"
  mkdir "$2"
  fi
  
  # por padrao reduz a imagem em 50%
  if [ -z $3 ];then
  porcentagem="50"
  fi
  
  for i in $(ls "$1"/*.jpg |xargs -n1 basename)
  do
  convert -resize "$porcentagem"% "$1/$i" "$2/$i"
  done
  
  exit 0

Referências:

Dicas-L

Localizando os arquivos maiores de um diretório com os comandos du e sort

Muitos comandos em sistemas GNU/Linux aceitam a diretiva “-h” ou –human-readable, que geralmente indica que o resultado deve ser gerado em um formato legível para humanos. Nos primórdios dos sistemas Unix/Linux, o resultado de comandos como du e ls era expresso em valores múltiplos de 1024 bytes, ou Kbytes. Sempre precisavamos fazer algumas continhas para chegar no valor correto.

Vejam dois exemplos do comando du, com e sem a diretiva -h:

$ du * | sort -nr
  20072   ./kde-queirozI9edRO
  12      ./CRX_75DAF8CB7768
  8       ./sni-qt_python2.7_2001-3kc5lW
  4       ./.X11-unix
$ du -h * | sort -nr
  20M     ./kde-queirozI9edRO
  12K     ./CRX_75DAF8CB7768
  8,0K    ./sni-qt_python2.7_2001-3kc5lW
  8,0K    ./pulse-UzNo0gdqJI6w
  4,0K    ./.X11-unix

O comando sort também aceita a diretiva -h, que significa –human-numeric-sort. Combinando o resultado do comando du com o comando sort, podemos obter listagens mais completas e voltadas para nossas necessidades mais imediatas.

O comando:

du -h * | sort -h

irá criar uma lista em ordem crescente de tamanho dos arquivos em um determinado diretório.

O mesmo comando poderia ser escrito também como:

du --human-readable * | sort --human-numeric-sort

Como o que normalmente nos interessa é localizar os arquivos que ocupam mais espaço em um determinado diretório, podemos reverter a ordem da listagem, colocando os arquivos maiores no topo da listagem.

Para obter esta listagem, basta reverter a ordem de exibição dos arquivos:

du -h * | sort -h -r
  19M     TerryTate.flv
  6,6M    1_Carlos_Aguerrea_Educacao_para_Paz.ppt
  2,6M    terry-tate.mpg
  2,0M    RELACOES.PUBLICAS.SECRETARIA.DE.SAUDE.2.ppt
  1,4M    Redefining_the_Warrior_2.ppt
  1,3M    comunicacao-empresarial-apresentacao-aulas.ppt
  984K    Setimo_Encontro_Carta_Terra_Mediacao_de_Conflitos_1255114782.ppt
  980K    oficina_comunic.ppt
  884K    nvc_1_.ppt

Referências

Dicas-L

Como retirar permissões de um usuário sobre alguns itens na área de trabalho no ubuntu.

Este tutorial mostra como fazer para retirar algumas permissões de um determinado usuário sobre alguns itens na área de trabalho do Ubuntu.

Após essa configuração, o usuário não poderá trocar papel de parede, proteção de tela, mudar as posições dos painéis, entre outras coisas. Mas continuará podendo criar pastas e arquivos na área de trabalho. Leia mais deste post

Lightning Bolt: O Thunderbolt da AMD

Apesar de caro devido aos controladores e cabos, o Thunderbolt vem lentamente crescendo em popularidade, apesar do avanço do USB 3.0. Ao que tudo indica, ele deve assumir um nicho similar ao ocupado pelo Firewire no passado, servindo como uma opção mais rápida ao USB 3.0 para usuários profissionais. Muito provavelmente ele nunca chegará ao ponto de equipar todos os PCs e notebooks que chegam ao mercado, mas ele tende a se tornar mais comum, pelo menos nos modelos high-end.

Leia mais deste post

Intel lança Thunderbolt: conexão entre computadores e dispositivos de 10 Gbps

A Intel lançou oficialmente o Thunderbolt, uma nova forma de conexão rápida por cabos para computadores e dispositivos diversos. O projeto tinha o nome Light Peak e apareceu em 2009.

A tecnologia fornece dois canais com banda de 10 Gbps por porta, sendo bi-direcional – oferece a mesma banda em ambas as direções, ao mesmo tempo, no mesmo cabo. Suporta dois protocolos: PCI Express e DisplayPort, facilitando a configuração dos drivers de dispositivos diversos, desde monitores de alta resolução até mídias rápidas de armazenamento. A maioria das coisas deverão funcionar na forma de “plug and play”.

O sistema foi projetado pensando em aplicações de áudio e vídeo. Baixos tempos de latência e boa sincronização é item obrigatório. É possível usar cabos elétricos ou ópticos. O cabo pode enviar energia junto (10 watts, como vem sendo divulgado pela mídia), podendo alimentar muitos tipos de dispositivos, sendo bem melhor que o USB. O conector será compartilhado por todos os dispositivos, permitindo o aproveitamento dos cabos pelos usuários.

A Apple é a primeira a já aproveitar o novo conector na linha MacBook Pro.

A velocidade é o dobro da oferecida pelo USB 3.0, aumentando as possibilidades para edição de vídeos, que normalmente geram arquivos gigantes. Uma câmera ou dispositivo de captura de vídeo futuro com conexão Thunderbolt poderá transferir quase que “imediatamente” o trabalho para o computador.

A velocidade realmente impressiona. Segundo a Intel será possível transferir (em condições ideais) um filme HD completo em menos de 30 segundos, ou então fazer backup de 1 ano de áudio contínuo em mp3 em cerca de 10 minutos.

Aos poucos deveremos ver a tecnologia em computadores de alto desempenho, workstations e notebooks high-end. Portas USB 3.0 deverão continuar existindo, afinal muito já foi investido e serão coisas complementares, já que a tecnologia do USB é mais barata.

A inclusão do Thunderbolt exigirá um chip controlador feito pela Intel. Embora não tenha ligação direta com a AMD, é de se imaginar que fabricantes de placas mãe possam usar a nova interface sem maiores restrições, mas ainda pode ser cedo para ter certeza.

Fonte: Guia do Hardware

Genética no pensamento de um “Nerd”

Quando recebi isto no e-mail não pude deixar de concordar(e rir muito) e então porque não compartilhar com todos um pouco de “nerdisse” ?!

Aproveitem para rir também (e “adquirir conhecimento” kkk)!

Coisa de Nerd:

  • Uma célula humana contém 75 MB de informação genética.
  • Um espermatozóide tem metade disso, ou seja, 37,5 MB.
  • 1ml de sêmen saudável tem aproximadamente 100 milhões de espermatozóides.
  • Uma ejaculação média dura 5 segundos e contém 2,24 ml de sêmen.
  • Ou seja, a velocidade da conexão ou throughput médio de um homem saudável é de: Calculando ( 37,5 MB x 100.000.000 x 2,24 ) / 5 = 1.761.607.680.000.000 bytes / segundo = “1,76 Terabytes / segundo” (wow… se minha internet tivesse esta velocidade…).

Conclusão:

O óvulo feminino suporta um ataque de DDoS (Distributed Denial of Service) de 1,76 TB/s e só permite a passagem de 1 pacote durante sua conexão.

*Fazendo dele o MELHOR FIREWALL DO MUNDO !!!*

Fonte: Fernando Soares

30 Tera Bits por segundo

Enquanto no Brasil alguns usuários enfrentam diversas dificuldades para se conectar à Internet com a mais básica que seja das velocidades em banda larga, do outro lado do planeta já se fala na utilização de um cabo de fibra óptica que permitirá a transferência de uma quantidade de arquivos equivalente a 720 DVDs em apenas um segundo.

Leia mais deste post

OpenOffice larga Oracle: será independente, com nome LibreOffice

Muita gente não aprovou a compra da Sun pela Oracle. Nem mesmo desenvolvedores e pessoas diretamente ligadas a grandes projetos, como o OpenOffice. Um grande grupo de desenvolvedores decidiu desvincular a Oracle do OpenOffice. Como a marca é dela, criou-se o que alguns podem chamar de fork: uma continuação independente do OpenOffice, chamada LibreOffice.

Leia mais deste post

Microsoft atualiza informações sobre o problema do carregamento das DLLs

Recentemente uma brecha no carregamento de DLLs no Windows foi bastante discutida, em que um programa poderia carregar uma DLL modificada sem saber, se ela estivesse na mesma pasta de um arquivo aberto pelo usuário. O pior é que não precisa ser em pasta local, funciona também para compartilhamentos WebDAV. Para alegria de uns e tristeza de outros, o problema não afeta só o Windows.

Leia mais deste post

Como criptografar uma partição do HD

Encrypting hard disk partition

Autor original: Jesse Smith

Publicado originalmente no: distrowatch.com

Tradução: Roberto Bechtlufft

Pergunta do leitor preocupado com a privacidade de seus dados: Como posso criptografar uma partição?

Leia mais deste post