Conhecendo um pouco sobre Lua

A linguagem de programação LUA tem conquistado os desenvolvedores de programas e aplicações aos poucos, graças a sua simplicidade, leveza e “poder de fogo”, uma vez que pode ser usada para criação de scripts diversos, banco de dados e até programas.

Sua diversidade de utilização e portabilidade já conquistaram até mesmo a Microsoft, que fechou um acordo de parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), local onde a linguagem nasceu, para integrar a LUA na plataforma .NET.

A linguagem de programação LUA é leve e poderosa, projetada para estender aplicações e usada como uma linguagem de propósito geral. Sua interoperabilidade é capaz de criar pontes entre sistemas diferentes através da criação de novos sistemas que facilitam essas conexões entre ASP e PHP, Windows e Solaris e outros exemplos que se possa pensar. LUA é, na verdade, uma biblioteca escrita em ANSI C compilada sem nenhuma modificação em qualquer plataforma que tenha um compilador compatível com o padrão, como Windows, Solaris, Linux ou Macintosh. Leia mais deste post

Anúncios

Lançado Samba 4 beta 1: com Active Directory e algumas melhorias

Olá a todos novamente.

O Samba teve o beta da versão 4 publicado. Esta traz um grande aprimoramento: o suporte aos protocolos de logon do Active Directory.

Depois de cerca de 6 anos em desenvolvimento, este beta traz a implementação open source do Active Directory da Microsoft. Os serviços são fornecidos pela sua própria implementação aberta do LDAP e DNS, num método compatível com o usado pelo Windows 2000 ou superior.

Outras novidades incluem o Kerberos Key Distribution Center (KDC) e serviços de logon CIFS do Samba 3.

O download é recomendado a entusiastas e profissionais da área, desde que não seja usado em ambientes sérios enquanto estiver como beta. Até a versão 4 final são esperados mais alguns betas para corrigir os bugs descobertos.

Há detalhes das novidades do Samba 4 nesta página do wiki do projeto.

Microsoft atualiza informações sobre o problema do carregamento das DLLs

Recentemente uma brecha no carregamento de DLLs no Windows foi bastante discutida, em que um programa poderia carregar uma DLL modificada sem saber, se ela estivesse na mesma pasta de um arquivo aberto pelo usuário. O pior é que não precisa ser em pasta local, funciona também para compartilhamentos WebDAV. Para alegria de uns e tristeza de outros, o problema não afeta só o Windows.

Leia mais deste post

Publicado Firefox 4 beta 4

A Mozilla publicou ontem, dia 24, o quarto beta do Firefox 4, alguns dias depois da data esperada. Como anunciado, um dos maiores destaques dele é renderização 2D via GPU no Windows.

Leia mais deste post

Risco de segurança no método de carregamento de DLLs do Windows

Um problema relativamente grave sobre o carregamento de DLLs no Windows anda sendo bastante comentado por esses dias. Quase todo software usa várias bibliotecas do sistema, que estão armazenadas em arquivos DLLs. A inicialização delas não é feita com o caminho completo (por exemplo, C:\Windows\dllprocurada.dll) porque não há como saber o camiho físico em todos os PCs (o Windows poderia estar em outra partição, por exemplo). Em vez disso os programas chamam as DLLs do sistema pelo nome do arquivo, e o Windows entrega a primeira que encontrar numa sequencia de diretórios – entre eles, a pasta de sistema, é claro; mas também vale a pasta do executável e a “pasta de trabalho”.

Leia mais deste post

Dois links de ADSL em um mesmo servidor

A divisão

Neste artigo mostrarei como fiz para dividir o tráfego de uma empresa em dois links ADSL ligados em um mesmo servidor utilizando iptables e iproute2. Como no meu caso o grande problema era o acesso aos e-mails que ficam em um provedor externo, dividi o tráfego de maneira que acessos POP e SMTP saíssem por um dos links e o restante dos serviços por outro. Nada impede que você personalize o script abaixo de maneira que atenda às suas necessidades. Leia mais deste post

Iptables detalhado

Vantagens e fluxo de pacote

A partir da família 2.4.x do kernel, o controle de pacotes passou a ser implementado pelo Netfilter e através do módulo Iptables. O Ipchains era muito utilizado na família de kernel 2.2.x e não é recomendado para utilização nos kernel 2.4.x e superior. Leia mais deste post

Por que o Linux é melhor?

Da próxima vez que alguém perguntar qual é o melhor SO, como onde e por que, não hesite em responder. Leia mais deste post